Buscar
  • andreiasofiacosta

O Açúcar alimenta o cancro


Felizmente esta é uma expressão que quase todos nós já ouvimos. Começa a ser cada vez mais consensual, e os estudos mostram isso mesmo. As elevações dos valores da glicémia no nosso sangue podem estar relacionadas com o desenvolvimento de tumores.

Mas para mim, não deixa de ser surpreendente que atualmente ainda haja profissionais de saúde a dizerem aos seus doentes que podem comer de tudo. Não, não podem, ou melhor, têm o poder de escolha, mas convém fazerem essa escolha de forma consciente e informada. A alimentação pode ser uma arma poderosa que todos temos ao nosso dispor no que diz respeito a prevenção, mas também ao tratamento do cancro.

Explicando este processo de uma forma simplista, o que acontece é que a ingestão de açúcar o vai aumentar a glicémia no nosso sangue, consequentemente, o pâncreas vai produzir insulina para baixar esses valores o que leva a que o excesso de açúcar passe para as células. Ao mesmo tempo é produzido um fator de crescimento, o IGF-1. Este estimula o crescimento e proliferação celular. Os dois juntos potenciam a inflamação, levando as células tumorais a invadir os tecidos vizinhos e inibindo a apoptose celular. Para além destes mecanismos, o açúcar leva ao aumento da atividade de uma proteína, a beta-catenina, que esta diretamente relacionada com a progressão tumoral.

Isto é o que acontece no nosso organismo e que mostra que a afirmação inicial é verdadeira.

Devemos por isso ponderar retirar da nossa alimentação o açúcar e também todos os alimentos com elevado índice glicémico. Ou seja, todos os alimentos que quando ingeridos levem a um aumento muito rápido dos níveis de glicémia no nosso sangue.

Neste grupo de alimentos estão muitos que fazem parte da alimentação diária da maioria dos portugueses, como o arroz branco, as massas, o pão branco, os cereais de pequeno almoço, refrigerantes, farinha de trigo branca, e também outros que estão escondidos em muitos alimentos processados (xarope de milho, glucose, xarope de arroz).

Parece uma tarefa difícil, trata-se de alimentos que culturalmente estão na nossa mesa todos os dias, e quem não gosta de um docinho? A somar a isto, o açúcar estimula os mesmos recetores cerebrais que a heroína. O que como facilmente percebem, o torna um vicio. Existem estratégias para que sem dramas se consigam fazer estas alterações na nossa alimentação. Há substitutos do açúcar com índices glicémicos mais baixos, podemos adoçar as nossas receitas com fruta, podemos quando temos um desejo enorme de doces, comer uma cenoura bem docinha, uma tâmara.

Estes são apenas alguns exemplos de mudanças que podemos fazer, nós temos esse poder da mudança. E sinceramente, não precisamos de esperar que o nosso corpo nos dê o pior dos sinais para as irmos introduzindo na nossa vida. De forma tranquila e sem fundamentalismos vamos aos poucos definido objetivos e levando estas mudanças para a nossa vida.

E tu conseguirias retirar os açucares da tua dieta?

22 visualizações
 
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn

©2019 por Let`s talk about cancro. Orgulhosamente criado com Wix.com